Sexta-feira, 9 de Novembro de 2018

CRÓNICA DO NOSSO TEMPO - UMA CULTURA E TRADIÇÃO A PRESERVAR

OS QUE NÃO GOSTAM, TAMBÉM DEVEM PRESERVAR

a cultura e tradição dos seus antepassados, afim de terem presente e deixarem futuro.

 

UM TOPÓNIMO AUSPICIOSO

-  foi o inicio da palestra que o Prof. Dr. Justino Lopes Almeida, proferiu  quando aqui esteve, em 1983, no Pavilhão da Escola Secundária,  com o Prof. Dr. Veríssimo Serrão, a convite do Pelouro da Cultura, uma iniciativa do Vereador; Joaquim Mário Antão, sob a presidência de António Moreira.

 A origem de Salvaterra de Magos !

 O seu nome nem sequer vem mencionado no Onomástico Medieval, que regista as formas mais antigas dos antropónimos e topónimos portugueses.

 Uns, os mais ousados, contam que para aqui vieram desterrados , bruxos e feiticeiros, expiar os seus males – as terras “montanhosas e salobras” davam-lhes  vida menos penosa, segundo a sentença do homem medieval.  No entanto, os “Adivinhões” passaram as chamar-lhe Terra Salva.

  Será uma lenda, dizem outros, que persiste em ofender este nobre povo de Salvaterra, e assim, aqueles não são levados em conta, até porque as suas terras são de planície acentuada,  que “bebem”  da frescura das águas do rio Tejo que banham a sua margem.

 Outros, teimam em usar os registos históricos.

 – Corria o séc. XII, D. Sancho I, filho de D. Afonso Henriques - rei fundador do reino de Portugal, querendo povoar as terras que seu pai foi conquistando para sul do seu território, por aqui junto ao grande rio andou, e vendo boas terras que davam pasto despovoadas, depressa se encarregou de dar benesses aos imigrantes, que mandou vir da Flandres e da Borgonha, que nelas quisessem fazer vida.

  Aqui em Salvaterra, teve bonita Casa de Campo, para seu deleite e da sua corte, quando caçava com aves de alto voo, protegendo estas com leis assinadas em Coimbra.

 Os colonos consigo trouxeram a sua cultura e tradições – depressa os bois de trabalho e cavalgaduras foram apurados nas suas raças.

 Depressa,  em dias de festa, tal como nas suas terras de origem, já usavam aqueles animais convertidos em toiros bravos, cheios de investidura em recintos de brincos.

 Os cavalos deixavam de ser bestas tirantadas, e bem montados com  cavaleiros apresentavam-se bem azaejados com as armas dos seus donos.

 No séc. XIII, em Junho de 1279, quando governava o país, o rei D. Dinis, o sexto rei descendente da dinastia do fundador de Portugal, concedeu a Salvaterra de Magos, o seu Foral de concelho, a exemplo do que tinha feito com aquela que na época romana usava o topónimo de Scallabis Praesidium Iulium, e agora era Santarém.

 Dinis, tal como seu avô D. Sancho I, redistribuiu terras, que retirou a Santarém, promovendo a agricultura, fundando várias comunidades rurais. 

 Os séculos passaram,  com o rei D. José no trono de Portugal, Salvaterra de Magos, viveu dias de grande esplendor, tendo até acontecido aqui uma cena, que ficou na sua história, e que a tauromaquia foi guardando até aos nossos dias.

 Em 1779 morreu tragicamente numa corrida de touros  o filho do Marquês de Marialva;

Manuel José de Noronha e Menezes, 7º Conde dos Arcos, e que o escritor Rebelo da Silva, bem romanceou com a sua pena

 A cultura e tradições  dos primitivos povoadores destas terras,  que viriam a ser o Ribatejo,  sendo um bem  a guardar, foi passando através de gerações, até aos nossos dias.

*José Gameiro

 *******

1)Topónimo Auspicioso “Montalvo e as Ciências do Nosso Tempo”

http://montalvoeascinciasdonossotempo.blogspot.com/2010/10/salvaterra-de-magos-um-toponimo.html

2) Livro:  “Salvaterra de Magos – Séc. XVIII a XXI  * Pedaços da História da Tauromaquia da Vila” – Autor: José Gameiro

* Publicado (Google) em José Gameiro Issuu

 

Sem nome.png

 

publicado por historiadesalvaterra às 11:03
link do post | comentar | favorito

.mais sobre o autor

.pesquisar

 

.links

.arquivos

. Novembro 2018

. Outubro 2018

. Março 2018

. Fevereiro 2018

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Abril 2016

. Setembro 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Março 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Outubro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Dezembro 2010

. Outubro 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Abril 2008

. Dezembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

.tags

. todas as tags

.Novembro 2018

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30


.VISITANTES

blogs SAPO

.subscrever feeds