Quinta-feira, 11 de Abril de 2019

CRÓNICA DO NOSSO TEMPO - O Tempo de Abril de 74 em Salvaterra de Magos

                  OS DIAS QUE SEGUIRAM AO 25 DE ABRIL DE 1974

                                           EM SALVATERRA DE MAGOS

                                        Recordações:- Alguns detalhes 

  Corria o ano de 1974, a revolução, ficou conhecida como “Revolução dos Capitães de Abril” na madrugada do dia 25 de Abril. Um grupo de militares revoltosos, tiveram êxito.  Dar Liberdade de expressão ao povo, que estava saciado daquele bem, desde que Salazar instituiu em Portugal, o Estado Novo – com uma Ditadura, foi uma das promessas que se cumpriu, além da saída dos presos políticos da cadeia.  Ao longo desse tenebroso tempo ditatorial, muitos activistas de Salvaterra de Magos, pugnavam especialmente pela liberdade política, juntando-se a outros conotados com o Partido Comunista Português – PCP, que operava na clandestinidade e outras organizações, afim de terem mais força na concretização dos seus ideais.

 Pelas suas lutas, sempre na clandestinidade, alguns conheceram as prisões do Estado Novo, foram presos e torturados pela sua polícia política - a PIDE.  Logo após a revolução, porque não comungavam dos ideais comunistas, e estes mostravam já no terreno as suas afinidades com o regime totalitário da União Soviética. O Partido Comunista Português, tinha alguns activistas e militantes em Salvaterra de Magos, bem conhecidos e uns meses depois, o comportamento político, do PCP, no período do PREC (Período Revolucionário em Curso), que se distanciava, dos seus ideais políticos, aderiram ao programa do Partido Socialista (PS).

 Nesse grupo notavam-se os antigos apoiantes da CEUD - Comissão Eleitoral de Unidade Democrática de 1969 de Salvaterra, entre eles, Leonardo Ramalho Cardoso, Mário da Silva Antão, Manuel Gonçalves da Luz, José Luís Serra Borrego.  Os jovens Joaquim Mário Cardoso Antão e seu primo; Paulo Cardoso, eram os rostos mais visíveis, também acabaram militantes e membros locais da Juventude Socialista.  A grande afluência de novos inscritos diariamente, levou à criação da sede concelhia do PS, que teve lugar na Avenida José Luís Brito Seabra, numa velha casa do Conde Monte Real.  Com o decorrer dos meses, a grande dinâmica manifestada pelos jovens Antão e seu primo Cardoso, levou a atrair à sede da secção grande número de jovens e adolescentes ansiosos por saber como se vivia em Liberdade.

   Era ali, um bom local de escola política, tendo Paulo Mendonça Coelho passado a ser um grande activista daquela juventude. Uma década depois, um novo "surto" de jovens frequenta a sede local do PS, assistindo às várias palestras politicas sobre o programa daquele partido - uma iniciativa do muito jovem, Nuno Mário Antão,  que dava os primeiros passos nesta área, mostrando estar na peugada do avô; Mário da Silva Antão e de seu pai; Joaquim Mário Cardoso Antão.

As relações politicais locais com o PCP, decorriam com normalidade, não deixando, os dirigentes locais do PS, de dar uma ajuda ao núcleo daquele partido em Salvaterra de Magos – intercedendo que tivessem um espaço onde pudessem reunir, visto existirem grandes dificuldades no arrendamento na terral. Algum mobiliário também foi disponibilizado.

    Com o decorrer dos meses, já no inicio de 1975, as relações politicas locais deixaram de ter uma coexistência pacifica,  pela pratica que levavam nas ocupações, como foi o caso de prédio urbano da família Lapa, na rua Cândido dos reis,  refletindo o que estava acontecendo a nível  nacional. Os cartazes do CDS, colados na parede da praça de toiros foram rasgados. Os cartazes que anunciavam o aparecimento da nova central sindical União Geral dos Trabalhadores – UGT, fundada maioritariamente pelos sindicalistas sociais-democratas e socialistas, colados no muro da antiga Horta do Sopas, numa madrugada, apareceram caídos de branco.  O dinamismo dos seus dirigentes locais, especialmente: Mário da Silva Antão e seu filho: Joaquim Mário Cardoso Antão, organizavam já no final de 74 e inicio de 1975, quási diariamente comícios e sessões de esclarecimento em Salvaterra e no concelho, sendo o povo da Freguesia Glória do Ribatejo, o que se caracterizava com os desejos de mais saber sobre os ditames do que era viver em Democracia.

    Naquela freguesia, as sessões de esclarecimento, contaram com a presença de figuras nacionais do PS como: Mário Soares, Maria Barrosa, José Niza, Jaime Gama, Manuel Alegre, António Reis, entre outros tal como era diária a sua presença na sede do concelho.

     A juventude gloriana com tal dinâmica levou ali à criação de uma sub-comissão concelhia daquele partido político. Outras forças partidárias, que tentavam uma implantação na terra, também organizavam aqui, em Salvaterra as suas actividades mobilizadoras., como o PPS e CDS, mas o número de aderentes era pouco expressivo, até o PPM andou por aqui.

    Em Salvaterra, a Praça de Toiros, Casa do Povo, Cinema Conde Arcos, eram espaços utilizados, além de palcos improvisados em atrelados, no centro da vila.   Aqui o povo acorria e esgotava na ânsia de tomarem conhecimento da oferta do programa partidária do Partido Socialista.

    O corte de relações politicas locais com o PCP,  quando da tentativa dos seus militantes e simpatizantes no boicote de uma sessão de esclarecimento, em Abril de 1977, sobre a “Reforma Agrária”, no Cinema da vila.  Ali foi o “estalar do verniz”, entre os dois partidos políticos a nivel nacional, títulos que muitos jornais usaram na primeira página, descrevendo com pormenores a ocorrência e alguns aludiam “Só à bomba!...”

942 - Entrada Comício  Campo Pequeno.jpg

   Foram gritos que foram ouvidos dentro da sala, pelos opositores.

     Os militantes socialistas da terra, estiveram sempre em grande numero nas grandes manifestações a favor da democracia no país. Em 1975, Lisboa (Fonte Luminosa),  Ralis, e Campo Pequeno.   Em Rio Maior, o confronto que ali ocorreu, ficou famoso pela manifestação das “Mocas” – foram usados pedaços de madeira, que pareciam tacos de basebol. Esteve ali, iminente o início de uma guerra civil (norte contra o sul).

     Leonardo Ramalho Cardoso, vinha exercendo o cargo de Presidente da Câmara na condição provisória, desde a destituição dos antigos autarcas, chefiados por António Pombeiro Fevereiro. Nas primeiras eleições constituintes, realizadas em 1976, e nas Autárquicas, aqui em Salvaterra de Magos, o PS, foi o partido mais votado, situação que se verificou em outros actos eleitorais seguintes.

*JOSE GAMEIRO

 

publicado por historiadesalvaterra às 12:25
link do post | comentar | favorito

.mais sobre o autor

.pesquisar

 

.links

.arquivos

. Abril 2019

. Março 2019

. Novembro 2018

. Outubro 2018

. Março 2018

. Fevereiro 2018

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Abril 2016

. Setembro 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Março 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Outubro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Dezembro 2010

. Outubro 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Abril 2008

. Dezembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

.tags

. todas as tags

.Abril 2019

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30


blogs SAPO

.subscrever feeds