Quarta-feira, 27 de Março de 2019

CRÓNICA DO NOSSO TEMPO - Quando o Torricado era Comida do Povo Rural do Ribatejo * séc. XX

*Uma Homenagem a meus pais – Gente que descendia

do povo rural, e que sofreu as suas agruras !...

*****

     Naquele mês de Setembro do ano de 1950, as vindimas estavam a terminar, tal como o Arroz eram as últimas colheitas do ano.  A chuva de Outono, como sempre já se começava a sentir nos últimos dias. Nos canteiros do Paul de Magos, a ceifa era difícil, os grandes ranchos de homens mulheres, já tinham água que dava pela canela. Como chovia sem parar depressa todo o campo, ali para os lados da borda de água, sentia já o efeito do transbordar do rio Tejo, mostrando aquém dele tirava sustento que vinham aí tempos de agonia e tristeza.

    Esta cheia, foi de pouca dura, tal como outras que lhes sucediam, não dando tempo às terras enxugarem. Uma houve que durou várias semanas, chegando mesmo ao Natal, até porque os campos da Charneca, não seguravam as correntes de águas que corriam por várias valas a caminho da vala real, e Ribeira de Magos rebentando com  a  Ponte da Madeira.

     Os valados  aqui e ali, mostravam grandes rombos, era uma dor de alma vê-los ; diziam os lavradores que nestas horas de dor também juntavam a sua voz à do povo para quem o sustento da família, era recebem algumas moedas da solidariedade alheia.   O mês Janeiro, era igual com a chuva, por vezes tocada a um vento agreste, que trazia frio,  lá se viam umas abertas, onde o sol fazia negaças, um pouco envergonhado.    Uma ou outra mulher mais afoita, lá vendia na vila, uns ovos das galinhas, para a compra de alguma comida para os filhos, e do milho para alimentar aquelas aves. O Natal estava à porta.

-  A fogueira de um cepo de uma velha árvore, convidava alguns grupos de homens, já com o dia bem adiantado até à hora do almoço, e  desde a meia tarde, até ao do luz fusco, ali ficarem encostados ao muro dos Freires, em frente à taberna do João Castelão ( era o local da praça da jorna dos homens),  na esperança de alguém os vir contratar para uns “biscates” no campo.

O Mês de Março, lá chegou trazendo esperanças àquela gente, as águas da cheia já tinham desaparecido, os seus “nateiros” contribuíam agora para a fertilidade dos solos e riqueza agrícola.

  O provérbio popular,  que vinha dos avós, aí estava: - Março, marçagão * Manhãs de Inverno, Tardes de Verão.  Os terrenos começaram a enxugar, era tempo das reparações dos estragos causadas pelos dias longos de inverno. Os agricultores, depressa tinham escolhido na vila - os afamados valadores de Salvaterra,  muito conceituados no Ribatejo, apoiados por ranchos de mulheres. Algumas aos pares com paviolas de terra, e outras como em fila, lá andavam com as gamelas à cabeça, trazendo terras negras – que o povo chama terras de  salão, para a reparação dos rombos nos valados.

  Os homens, com as pequenas pás de valar, lá reparavam os vários rombos ao longo dos vários  valados, grandes e pequenos, que existiam até à ponte da vila, no cais dos barcos.

 Uma mulher, era encarregada de tratar da fogueira, e depois já com brasido bem vivo, num ferro em cima de 2 paus segurava o aquecimento das panelas da comida.

O Capataz, olhando para o seu relógio, pendurado numa corrente no bolso do colete, lá gritava -  está na hora do almoço.  Os homens cortavam ao meio um pão de uma semana de cosedura, e feitos uns pequenos quadrados no miolo com a navalha, usavam-se uma vara de Loureiro/ ou Salgueiro - para suportar o peso da fatia do pão a uma distância apropriada (vergando um pouco), o pão sob vigilância aloirava, depois era untado com um fio de azeite e alho.

1 Torricado.jpgOs mais velhos, tinham o hábito de ver se o pão, mesmo aloirado estava bom, encostando-o  à orelha, e ouvir o azeite ferver .  O  toucinho cozido (muitas vezes de vários dias), também servia para untar o pão.  Nesta refeição ligeira ainda se usava uma posta - fina, de bacalhau cozida na véspera, que era passada pelo lume brando para aquecer.   

O Torricado, era acompanhado de vinho/ ou água-pé, que corria pela garganta “goela abaixo”  com o garrafão deitado no braço passando de mão-em-mão.

 No decorrer da década de 50 do séc. XX, ali no lado norte do inicio do Dique – estrada para o Escaroupim, num terreno da família Costa Ramalho, foi usado para as boiças ( pequenas parcelas de horta e árvores de fruta), usado pelo população rural.

 

Pão - Torricado com Azeite.jpgA terra arenosa solta “recebia”  a  frescura  da  bacia do Tejo, a água encontrava-se a pouca profundidade, meu pai, tinha ali também a sua boiça, e muitas vezes, comi Torricado feito por ele, recordando os seus tempos de trabalhador do campo.

  *José Gameiro

Fotos: Reconstituição:  Rancho Folclórico do Granho -2018

 

 

 

publicado por historiadesalvaterra às 18:45
link do post | comentar | favorito

.mais sobre o autor

.pesquisar

 

.links

.arquivos

. Abril 2019

. Março 2019

. Novembro 2018

. Outubro 2018

. Março 2018

. Fevereiro 2018

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Abril 2016

. Setembro 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Março 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Outubro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Dezembro 2010

. Outubro 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Abril 2008

. Dezembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

.tags

. todas as tags

.Abril 2019

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30


blogs SAPO

.subscrever feeds